FAMÍLIA AK E SUAS DIFERENÇAS

Por possuir baixo custo, durabilidade, ser eficiente em diversos ambientes, ter uma fácil manutenção e manuseio, dentre outros pontos, o fuzil AK-47 é uma das armas mais usadas e copiadas do mundo. Inventada em 1945, com seu primeiro protótipo exibido e testado em 1946 (prototipo chamado de AK-46), sendo reformulada em 1947, o AK ganhou fãs por todo o globo. Mas a família AK não morre no prestigiado AK-47. Ele sofreu diversas variações através dos anos, e seus modelos vem sido confundidos desde então. A família é grande, e neste artigo tentaremos mostrar a diferença entre seus modelos, portanto sente-se, pegue sua bebida predileta, uma pipoca, e leia este texto sobre as diferenças entre os variados modelos baseados no fuzil AK-47.

OBS: Clique nas imagens para ampliar.

AK47-ORIGINAL
Primeiro modelo AK-46 Produzido

Para falar da família AK, devemos primeiramente voltar à história já contada, aqui neste blog, do AK-47. Após se ferir em combate, o então Cabo do Exército Soviético, inventa, baseado no STG-44, o fuzil de assalto AK-46. Seu primeiro protótipo foi lançado no ano em que deu seu nome, em 1946. Seu design não era muito bonito e muito menos confiável, e como forma de melhorar isso, inventaram em 1947, o famoso fuzil de assalto AK-47.

fuzilcompeticao
Nesta foto temos o Fuzil AK-47, logo abaixo uma Bulkina TKB-415 e abaixo dele um fuzil Demantiev KB-P-410, estes foram os fuzis que competiram para ter seu lugar no Exército Soviético.

Foram travadas competições para saber qual arma seria adotada pelo Exército vermelho, do final de 1947 até o inicio de 1948, entre Dementiev modelo KB-P-410, Bulkina TKB-415 e Kalashnikov AK-47. Os resultados foram inconclusivos, o fuzil de Kalashnikov não era necessariamente o melhor, pois teve problemas quando passou pelos testes de precisão. Mas, independente disso, a arma de Kalashnikov era confiável, e por isso foi a arma que os militares escolheram. Uma ordem do Ministro de Armamento, datada de 21/01/1948, direcionou Izhmash e Izhmekh para ajudarem a fornecer partes de montagem para o novo fuzil. Eles emitiram outra ordem em Maio de 1948 dizendo que a produção principal da arma, seria feita exclusivamente por Izhmash, começando em Janeiro de 1949. Enquanto a produção começava em meados de 1948, a adoção oficial do AK-47 não foi feita até 18 de Junho de 1949 pela Diretiva 2611-1033CC do Conselho dos Ministros. Ela foi formalmente nomeada de Avtomat Kalashnikova 7,62mm, sendo referida simplesmente como AK.

tyoe1a1b
Acima vemos o modelo AK-47 Type-1A Receiver, e abaixo o Type-1B Receiver

O primeiro AK-47 tinha seu corpo feito de uma chapa de aço dobrada. Foram produzidos dois modelos deste AK-47, o Type-1A Receiver e o Type-1B Receiver. O modelo Type-1A Receiver possuía a coronha fixa de madeira. O modelo Type-1B Receiver tinha a coronha de metal que dobrava para baixo da arma em direção á frente, descansando abaixo do guarda mão.

Por problemas de qualidade com os receivers, a Izhmash foi forçada a mudar a forma de produzi-los, passaram então a ser feitos com uma peça única de aço usinado. Criando o segundo tipo de AK-47, o Type-2A (Coronha Fixa) e o Type-2B (Coronha dobrável). A nova arma com seu chassi novo foram chamados de Oblegchyonnyj  7,62mm Avtomat Kalashnikova (AK). Estranhamente, nesse meio tempo, os russos ainda estavam fabricando o Type-1, mesmo com a alta taxa de rejeição do receiver antigo.

AK-47type2a
Observe o corte longitudinal logo acima do carregador, isso identificava os AK’s-47 com receiver feitos de uma uma peça de aço usinada. Note também o encaixe na parte de trás do receiver, feito para encaixar a coronha.

A versão final do AK-47 foi o Type-3, seja o Type-3A, com coronha fixa, ou o Type-3B, com coronha dobrável. Uma diferença rápida e fácil de notar entre o Type-2 e o Type-3 é a ausência de encaixe da coronha, a adição de um zarelho no bloqueador de gás, e alteração do perfil da parte de trás do receiver.

Em 1959, os russos resolveram seus problemas das armas feitas com a chapa de aço dobrada e introduziram o Type-4A Receiver. Esta foi a base para todos os AKM’s e AKs-74. O chassi do Type-4A é feito de uma chapa de 1mm de aço, dobrada, esquentada e tratada. Uma chapa mais grossa, de 1,5mm é usada para produzir as versões de AKM’s Chinesas, Yuguslavas, e algumas Bulgaras.

O AKM então foi feito com os novos receivers, todas as partes que antes eram feitas juntas, com o receiver integral, agora eram feitas separadamente, instaladas e fixadas com rebites. Os rebites por todo o lado da arma é uma forma fácil de reconhecer as versões feitas de chapa de aço dobrada. Outras mudanças feitas para este modelo foram:

  • Melhorias no cano da arma para se ter um disparo mais seguro;
  • Redução de aproximadamente 1kg no peso da arma;
  • O cano passou a ser encaixado no receiver ao invés de aparafusado a ele, como era no AK-47;
  • Seu cano foi o primeiro da família AK a ter um compensador de inclinação para reduzir a subida da arma quando disparado em modo automático;
  • Dispersores de gás foram movidos para frente do bloqueador de gás;
  • A coronha agora é oca, para reduzir o peso da arma;
  • A mira é calibrada para 1km, enquanto o da AK-47 era de apenas 800m;
  • Mudanças no tratamento do metal usado. O metal do AKM é parquerizado ao invés de azulado como o do AK-47;
  • Usa molas e montagem do gatilho diferentes para maior segurança. O AKM dispara em modo automático apenas quando o ferrolho está totalmente fechado. A nova montagem do gatilho reduziu também o “balanço do gatilho” e possui uma liberação do cão com retardo de alguns microssegundos quando em fogo automático. O mecanismo de liberação com retardo do cão é chamado incorretamente por algumas pessoas de “redutor de disparos” mas isso não muda a cadência de tiro da arma. Ao invés disso, ele permite que o grupo do ferrolho se instale na posição mais a frente possível após retornar para a bateria.
akm-rebites
Os dois rebites da direita são usados para segurar a coronha ao receiver do AKM.

O AK-74 foi adotado pelo exército Soviético em 1974. Ele é baseado no AKM. Entretanto seu calibre é o 5,45X39mm Ao invés do 7,62X39mm usado por seus antecessores.

Por conta de seu novo calibre, seu cano, carregador, miras, receiver, mecanismo de disparo, cilindro de gás e molas foram modificados para que a arma disparasse em 5,45X39mm. Seus carregadores originais são feitos de polímero, e por isso duram muito mais. Foi inserido também duas colunas em alto relevo no carregador, para que não fosse possível encaixa-lo no AK-47 ou AKM. O cabo da arma também é feito em plástico ao invés de madeira e sua coronha usa folhas de madeira ao invés de madeira mesmo. Alguns AK-74S usam o guarda mão e coronha de madeira, fixa, outras versões usam a coronha, guarda mão e empunhadura totalmente em polímero, normalmente possuem a cor preta. A coronha do AK-74 possui um “rasgo”, diz a lenda que este “defeito” foi feito para que os soldados russos diferenciassem o AK-74 de um AK-47 a noite, sem enxergar, mas de acordo com o próprio Mikhail Kalashnikov, era apenas para reduzir ainda mais o peso da arma, pois ele havia ficado mais pesado que o AKM.

 

ak74sm
Acima vemos o AK-74 com coronha, empunhadura e guarda mão em madeira, e abaixo vemos a mesma arma, porém com estas partes em polímero preto. E ainda na coronha notar o rasgo que teoricamente servia para distinguir entre AKM’s/AK’s-47 dos AK’s-74

O AK-74 possui algumas variantes, como o AKS-74 que possui uma coronha de metal dobrável. o AKS-74U, que é uma versão menor do AKS-74, AK-74M que todas as partes que eram de madeira, agora são de polímero preto, possui trilhos em suas laterais para instalação de acessórios e é a arma usada pelo Exército Russo desde 1990.

 AK-101: o AK-101 foi criado para o mercado exterior. Seu calibre é o 5,56x45mm NATO. Obviamente, seu cano, carregador, receiver foram modificados para usar este calibre. Em resumo, o AK-101 é um AK-74M, redimensionado para o calibre 5,56 NATO e como o AK-74M, possui trilhos para a instalação de acessórios ópticos.

AK-12: O AK-12 é a nova arma da família AK, apresentada formalmente à mídia em Janeiro de 2012, ela foi produzida com a intenção de trocar as antigas AK-74 e AKM. Além de trocar no mercado doméstico também. Mesmo que já esteja a venda em alguns países e em uso por algumas forças, acredita-se que o AK-12 ainda esteja em desenvolvimento, por conta de alguns erros apontados pelo Exército Russo.

A ideia da arma era manter o que fez do AK-47 uma das melhores armas do mundo, e consertar o que ela tinha de ruim. O resultado foi a inclusão de um longo pistão a gás, seletor de tiro e trava ambidestro (pode mudar de semi automático, full automático, burst-fire e arma travada), uma empunhadura mais ergonômica, coronha telescópica dobrável e trilhos picantinny por toda arma, fazendo ela uma versão muito mais tática e “moderna” do que suas antecessoras.

O seletor de tiros foi movido para a parte de trás do corpo da arma, logo acima da empunhadura, assim, pode ser acionado com o dedão do atirador. A alavanca do ferrolho (alavanca de municiamento da câmara da arma) pode ser colocada tanto no lado esquerdo quanto no lado direito nesta versão do AK. A porta de ejeção dos cartuchos disparados agora é menor do que de suas anteriores e a arma possui um compensador de gases padrão NATO, ou seja, de 22mm.

Nesta imagem é possível visualizar as mudanças feitas na arma.

Além do 7,62x39mm, o AK-12 agora conta com versões em 5,45x39mm, 5,56x45mm NATO, 6,5 Grendell e futuramente a Izmash pretende ter uma versão também em 7,62x51mm. Os carregadores de 7,62×39, 5,56×45 e 5,45x39mm, de seus predecessores podem ser usados nesta arma, e vice versa, isso se dá porque  oAK-12 foi projetado justamente para ter esta peça intercambiável.

A arma conta com sua coronha, empunhadura, carregador e guarda mão feitos em polímero e suas demais partes em metal, fazendo-a pesar algo em torno de 3,3kg com carregador vazio.

Cópias Estrangeiras: A patente e os dados técnicos dos fuzis AK foram vendidas e/ou dadas aos países membros do Pacto de Varsóvia e também para outros países considerados “amigos”, como Egito e Iraque, para que pudessem produzir suas próprias armas. Em razão disso, o AK foi espalhado por todo o mundo e diversas variações foram criadas e continuam em uso ainda hoje.

AK-56
Militar Chinês com seu fuzil Type-56

AK-56: O AK-56 é uma cópia chinesa da AK-47. Ele é oficialmente chamado de “Type-56”. Obviamente, seu número, 56, indica o ano em que começou a ser produzido pelos chineses, em 1956. Nas primeiras fases da arma, o Type-56 era uma cópia exata do AK-47. entretanto, em 1960 os chineses incorporaram algumas das melhorias do AKM (como o receiver feito de uma chapa de aço dobrada e o compensador de inclinação), e algumas outras modificações criadas por eles mesmos, mas não mudaram o nome da arma, continuou a ser Type-56, mesmo sendo uma arma diferente. Uma diferença visual do Type-56 com o AK-47 ou o AKM, é que não há abertura na parte de cima de sua massa de mira, enquanto o da AK-47 e AKM tem.

O Type-56 foi a variante de AK que mais se proliferou pelo mundo. Ele foi exportado pelos chineses para diversos movimentos comunistas, especialmente em países de terceiro mundo da Ásia, América do Sul e África. Estima-se que 20% das AK’s do mundo são na verdade Type-56. Quando os EUA estiveram no Vietnã, foram encontrados muito mais os type-56 nas mãos do inimigo do que de fato o AK-47 ou AKM.

ak74romeno
A equerda compensador de 22mm, e a direita a arma citada.

FSB (AK-74 Romeno): Os fuzis FSB são uma cópia do AK-74, porém, possuem características únicas, tais como o encaixe da baioneta, que fica logo abaixo da massa de mira. E por usar a baioneta tão perto do cano, obrigou os Romenos a usarem também um compensador de gases de 22mm, que não era intercambiável com o compensador de 24mm das armas de outros países.

Eles decidiram manter a angulação original de 45º para o bloqueador de gases, ao invés de usar a nova angulação, usada nos armamentos produzidos a partir de 1977, de 90º.

ak74polaco
Na foto a esquerda vemos o seletor de rajada que fica do lado esquerdo da arma, o seletor possui as letras: “C” (Ciagly) para full-auto, “P” (Pojedynezy ) para semi-auto, e “S” (Seria) burst-fire (três tiros a cada vez que se pressiona o gatilho).

AK-74 Pol0nês: Os Poloneses foram os que mais se afastaram do design do AK-74 original. Eles usaram um compensador de gases diferente do original, o que lhes permite disparar granadas de bocal de suas armas, molas modificadas, guarda mãos diferente, tubo de gás e retentor de gás diferentes e alguns outros detalhes. Os Polacos usaram uma combinação única do seletor de segurança do AK-74 padrão no lado direito do corpo da arma e o seletor de modo de fogo do lado esquerdo, baseado no fuzil FNC.

velmet
Fuzil Velmet 62

Velmet 62: O design do fuzil AK inspirou na criação de outros fuzis baseado em seu projéto, usando também o calíbre 7,62X39mm. Um deles é o Finnish Velmet, existem diversas versões do Velmet com seu corpo feito tanto em aço usinado quando chapa de aço dobrado, mas a maioria dos Velmet’s encontrados são usinados, seu modelo é o 62. Por dentro os fuzis Velmet se parecem muito com os AK’s, mas externamente nota-se grande diferença em seu desenho. Os fuzis Velmet possuem muita qualidade de precisão.

Galil2
Fuzil IMI Galil em 5,56X45mm NATO)

IMI Galil: A IMI (Israelli Military Industries), fabricante israelense de armas, se baseou no Velmet 62 para produzir o Galil, porém, mudou seu calibre de 7,62X39mm para 5,56X45mm NATO. As primeiras versões desta arma usavam o corpo da Velmet 62, mas os Israelenses logo descobriram que precisavam fazer seus chassis mais resistentes para aguentar as novas pressões produzidas por este calibre.

CZ VZ-58: A última variação que irei citar é o fuzil CZ modelo VZ-58. Externamente, ele é muito parecido com o AK-74, mas suas semelhanças acabam na parte externa, pois nada, nada mesmo de seu interior é baseado no AK. Ele funciona por ação de pistão, como o FAL, que pressiona a parte da frente do ferrolho e o faz ciclar. Ele não possui cão interno ou externo e seu ferrolho se parece com uma grande versão da Beretta 92

vz58
Fuzil CZ VZ-58
Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Criador do blog Firearms Brasil. CAC vinculado à 4RM, mineiro e apaixonado pelo mundo das Armas de Fogo.

7 COMENTÁRIOS NO ARTIGO: “FAMÍLIA AK E SUAS DIFERENÇAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *