ARMAS DE FOGO E HOLLYWOOD

ARMAS DE FOGO E HOLLYWOOD
Smith & Wesson Modelo 29 calobre .44 Magnum usado por Clint Eastwood em Dirty Harry. Fonte: http://www.nramuseum.org

Em cima de uma maleta de madeira, atrás de um vidro polido com iluminação baixa, está o revolver Smith & Wesson modelo 29 calibre .44 Magnum, usado por Clint Eastwood em seu clássico personagem, o Inspetor “Dirty Harry” Callahan, no filme Perseguidor Implacável (1971) e Magnum 44 (1973). Em outra case se encontra uma pistola Beretta 92FS, usada por Bruce Willis no filme “Duro de Matar”. As armas de fogo de diversos clássicos de ação de Hollywood, como Identidade Bourne e Pulp Fiction, estão aqui. Essa exibição, celebrando o cinema, não é na sede da maior indústria cinematográfica do mundo, mas a milhares de quilômetros dali, em um museu na sede da NRA (National Rifle Association), em Fairfax – VA.

A NRA tem orgulho da sua exibição “Armas de Hollywood”. Esta é a mais popular entre as dezenas de salas e múltiplas mostras, que inclui as armas do ex-presidente Theodore Roosvelt, dentre estas armas o rifle Winchester modelo 1895 em calibre .405 WCF, esta sua arma preferida e ele inclusive as  levou durante sua expedição na Amazônia em 1913. A exibição “Armas de Hollywood” é a última sala do tour pelo museu, e de acordo com funcionários, ela é considerada um prêmio no final da visita.

Rifle Winchester modelo 1895, calibre .405 WCF, arma preferida de Theodore Roosvelt, utilizada durante sua expedição na Amazônia e na África.

Essa exibição mostra a, apesar de turbulenta, frutífera parceria entre a indústria de armas e Hollywood, onde as armas de fogo fazem parte de sua vida e história. Para os fabricantes de armas, ter seus produtos usados em grandes produções cinematográficas e sendo empunhadas por atores famosos, é ótimo, além do mais, muitas vezes não se paga nada por isso.

Em um discurso de 2016 para os membros da NRA (National Rifle Association), o então CEO da organização, Wayne LaPierre, acusou Hollywood repetidas vezes de causar males sociais, desde a violência à divisão de classes, e praticamente culpou a indústria cinematográfica por “expor as crianças ao uso gratuito e imprudente das armas de fogo”. Do ponto de vista da NRA, Hollywood é um local cheio de liberais insensíveis que tentam fomentar a histeria pública, como um esforço para empurrar o controle de armas nos EUA goela à baixo. Enquanto isso, diversas estrelas de cinema, incluindo defensores do controle de armas como Matt Damon e Liam Nesson, que criticam a violência armada no mundo real, fazem fortunas disparando e empunhando armas de fogo em seus filmes.

Estamos falando de MUITAS armas em tela. Desde o ataque terrorista ao World Trade Center, a obsessão dos americanos por assuntos como espionagem, terrorismo e guerra aumentou de forma vertiginosa e o consumo cada dia maior destes assuntos mostra isso. Um estudo publicado em 2015 pela revista The Economist concluiu que o número de armas em filmes categorizados para maiores de 13 anos, triplicou entre 1985 e 2015. E uma análise feita pelo site “The Hollywood Reporter (THR), mostrou que o número de diferentes modelos de armas mostrados nos filmes entre 2010 e 2015 foi 51% maior do que havia aparecido uma década antes. A demanda para ver diferentes tipos de armas em cena está clara, filmes de ação compunham apenas 4% dos melhores filmes na década de 30, e, hoje 34% dos melhores filmes são compostos por essa categoria, sugerindo o aumento do apetite do público em ver armas de fogo no entretenimento.

Fonte: The Hollywood Reporter

CONSULTORES

Para que uma arma chegue à tela do cinema, é necessário que haja um profissional que chamaremos aqui de Consultores de Armas para Filmes, ou tão somente “consultores”. Estes consultores estão nos dois lados, tanto o de Hollywood, fornecendo suas armas para que os filmes possam ser gravados, como do lado da indústria de armas, onde apontam o armamento correto que deve aparecer nos filmes. De acordo com Gregg Bilson Jr. Presidente da American Entertainment Armorers Associarion e proprietário da empresa Independent Studio Services (ISS), uma das maiores empresas de aluguel de materiais para filmes de Hollywood, eles continuarão a fazer o que fazem até que parem de fazer filmes com criminosos.

Larry Zanoff no departamento de armas da ISS.

A ISS é uma grande empresa, com um acervo diverso de produtos, desde canoas a contêineres chineses. No meio desse acervo está um arsenal de mais de 16 mil armas, quase todas reais, além de serem donos de cerca de 80 das armas exibidas na seção “Armas de Hollywood” no museu da NRA. Quando cenas são gravadas com atores famosos proibidos de portarem armas de fogo como Mark Wahlberg (que usou uma Glock G17, calibre 9mm, no filme O Dia do Atentado – 2016) e Danny Trejo (armado com uma pistola Colt Commander .45 ACP no filme Machete Mata – 2013) a ISS dispõe em seu vasto arsenal das chamadas “no guns” ou “E-guns”, armas elétricas, réplicas idênticas de armas de fogo reais, porém, sem blowback.

A equipe de consultores e armeiros da ISS ajudam de forma meticulosa diretores como Michael Mann e Oliver Stone a fazer o uso historicamente correto de armas de fogo em seus filmes, e ensinam atores famosos como Bradley Cooper, Johnny Depp e Benicio Del Toro sobre como manipular e usar de forma segura as armas em cenas complexas, até que todo o filme seja finalizado. De acordo com Larry Zanoff, um dos consultores da ISS que trabalhou em grandes produções hollywoodianas, 75% das cenas de filmes de ação há ao menos uma arma envolvida, mostrando como estes profissionais são indispensáveis na vida de Hollywood.

Acima o rifle McMillan TAC-338A, usado por Chris Kyle (Bradlley Cooper), no filme Sniper Americano (2014) e abaixo o fuzil Colt M16A4 usado por Marcus Luttrell (Mark Wahlberg) no filme O Grande Herói (2013). Ambas as armas estão expostas no museu da NRA.

Escritores, diretores ou atores algumas vezes tem preferência por armas especificas. Clint Eastwood, por exemplo, já empunhou cerca de 15 revólveres Smith & Wesson de 1971 a 2002. Steven Segal sempre usou pistolas na plataforma 1911. Angelina Jolie prefere as pistolas Cisco 1911 e inclusive juntamente com seu ex-marido, Brad Pitt, foi presenteada com um par de pistolas Cisco 1911, pelo proprietário da marca.

É notado também que os espectadores de hoje fazem questão pela maior semelhança possível com a realidade, e por isso não é possível empregar uma arma de fogo que não tem nada haver com o momento histórico do filme ou que nada se assemelha às armas usadas por aquele tipo de unidade ou força militar. Justamente por conta disso para o filme Sniper Americano (2014) a ISS contratou um militar que faz parte do “Team 3” dos SEALS da Marinha Norte Americana, para que fosse possível determinar a exatidão dos equipamentos usados por todos os militares do filme. Neste filme diversas armas foram utilizadas desde pistolas Beretta 92FS e Sig Sauer P220, Fuzis Colt M16A4, metralhadoras Browning M2HB, além de rifles de precisão, como o rifle McMillan TAC-338A em calibre .338 Lapua Magnum, uma das armas utilizadas por Chris Kyle não só no filme, mas também na vida real.

Mas não é só a NRA que possui seu museu de armas de Hollywood. A ISS também mantém algo como um museu próprio e nesta sessão da empresa estão armas usadas em grandes sucessos, como uma H&K USP45 .45ACP usada por Tom Cruise no filme Colateral (2004), o fuzil M1 Garand .30-06 Spg., usado por Clint Eastwood no filme Gran Torino (2008), a espingarda Remington 11-87 calibre 12GA, com silenciador, usada por Javier Barden no filme Onde os Fracos Não tem Vez (2007).

INFLUÊNCIA DO CINEMA NAS VENDAS

Clint Eastwood usando seu revólver Smith & Wesson modelo 29 calibre .44 Magnum interpretando o inspetor Dirty Harry Callahan, no filme Perseguidor Implacável (1971).

Como podemos ver, grandes produções geram grande interesse público em armas de fogo e a indústria de armas, como qualquer outro negócio, se beneficia disso. Podemos dizer que apenas empresas pequenas competem por uma fatia do mercado, travando grandes brigas pela colocação de seus produtos em filmes. De acordo com Bryan Carpenter, consultor independente da Louisiana, muitas vezes estas empresas vendem à preço de custo seus produtos para que possam ser usados em produções cinematográficas ou simplesmente doam seus equipamentos como uma forma de comissão de vendas. Bryan Carpenter trabalhou em produções como Os Mercenários (2010) e Sete Homens e Um Destino (2016), ele usou como exemplo as empresas Zev Technologies, Sons of Liberty e CZ-USA.

Já as grandes marcas são inundadas o tempo todo com oportunidades de colocação de seus produtos em filmes, porém, na maioria das vezes, eles nem se incomodam em tentar se promover, pois isso acontece sem que haja qualquer tipo de interferência.

Ter sua arma em uma grande produção sendo empunhada pelo ator correto no momento correto como aconteceu no filme Perseguidor Implacável (1971) e Magnum 44 (1973), com Clint Eastwood usando o revolver Smith & Wesson Modelo 29 calibre .44 Magnum e com diversas pistolas Beretta em Os Sopranos (1999 – 2007) e na franquia Duro de Matar, podem produzir vendas massivas por décadas e concretizar o nome das marcas no mercado. De acordo com Angelina Giudice, consultora independente, algumas marcas como Smith & Wesson e Glock não precisam fazer nada além de esperar suas armas aparecerem em alguma produção famosa.

O Anti-herói Deadpool (Ryan Reynolds) usando duas pistolas IWI Desert Eagle Mark XIX em calibre .50 AE.

Frank Harris, vice-presidente de vendas e marketing do Grupo Kahr Firearms, fabricante da submetralhadora Thompson e da pistola Desert Eagle, diz que a todo momento suas armas são divulgadas, sozinhas, sem que haja qualquer interferência de sua empresa. Gordon Bond, da Bond Arms, diz a mesma coisa, de acordo com ele suas armas são usadas atualmente em mais de 20 produções diferentes, muitas delas ele nem sabia. Em todos esses casos, o marketing foi gratuito.

Na maioria das vezes a única preocupação das marcas é se seu produto, em algum filme, apresentará falhas ou se serão usados para matar crianças e/ou animais de estimação já que essas duas opções são mal recebidas pelo público e nesse caso, pode haver a possibilidade de negar a presença de suas armas nas produções. Porém, o uso no desporto e caça são muito bem recebidos pelas indústrias, pois evidencia o uso saudável das armas de fogo. A segurança no manuseio e uso também é algo importante, as fabricantes adoram quando é evidenciado um ator, por exemplo, guardando suas armas em um cofre para que sua família não tenha acesso à elas.

Matthew Page usando uma Beretta 92FS no filme O Grande Heroi (2013)

Apesar de ter uma arma em algum filme ser algo relativamente fácil, para se ter armas específicas inseridas nas produções corretas, é necessário que haja interferência de consultores, como Rolfe Auerbach, que auxilia algumas das maiores fabricantes de armas dos EUA. Em 2013 ele fechou com a Beretta USA um acordo de US$250.000,00 para que fosse usado somente as pistolas Beretta 92FS calibre 9mm no filme O Grande Herói (2013), apenas uma pistola diferente foi usada, no caso, uma Makarov PM calibre .380 ACP, usada pelo ator Sammy Sheik, que interpretava Sharaq, braço direito de Shah, comandante do Talibã. De acordo com Gary Ramlei, ex executivo da Beretta USA, ter suas pistolas usadas neste filme foi algo de extrema importância, já que elas foram usadas por diversos grupos de influenciadores como militares das forças armadas e membros de forças policiais. Mas é muito importante se dizer que os SEALS da marinha norte americana, na época do filme, utilizavam na verdade pistolas Sig Sauer P226 e Kimber 1911, e não as pistolas Beretta 92FS, como foi mostrado no filme.

Quando Clint Eastwood em seu personagem Dirty Harry usa seu revolver Smith & Wesson model 29 calibre .44 Magnum para salvar o dia no filme Perseguidor Implacável (1971), as vendas de revólveres calibre .44 Magnum teve um aumento estrondoso, além de ter concretizado ainda mais a marca da Smith & Wesson, em todo os EUA.

John Mclane (Bruce Willis) usando uma Beretta 92FS em Duro de Matar 2 (1990).

A primeira vez que uma pistola Glock apareceu nas telas de cinema foi no filme Um Rosto Sem Passado (1989), mas foi em Duro de Matar 2 (1990), a segunda grande produção em que essa arma foi utilizada, que o personagem John Mclane (Bruce Willis) criou um dos maiores mitos por trás destas armas, quando diz para Coronel Stuart e seus mercenários, que usavam pistolas Glock G17 Gen1: “… uma arma de porcelana, fabricada na Alemanha que não aparece nos detectores de metais de aeroportos e custa mais do que você ganha no mês…”. Hoje, sabemos que estas pistolas são fabricadas na Áustria, possuem o corpo de polímero opaco que é visto por máquinas de raio-X, ferrolho, cano e demais peças em aço, e que, não custam atualmente muito mais do que US$600,00 nos EUA. No final de 1990 a popularidade desta arma estava em alta e de acordo com Paul Barret, autor do livro “Glock: The Rise of America’s Gun”, cerca de 300.000 pistolas Glock G17 estavam sendo usadas nos EUA no final daquele ano. Até então as pistolas Glock não passavam de uma arma como outra qualquer, mas graças a essa campanha, a empresa foi capaz de reforçar ainda mais seu nome no mercado e abrir uma terceira subsidiária, desta vez no Uruguai, e iniciar a produção dos modelos G22 e G23, ambas em .40 S&W.

Sgt. Oswald Cochrane (John Costelloe), usando sua pistola Glock G17 em Duro de Matar 2 (1990).

Os fabricantes de armas sabem muito mais como Hollywood funciona do que se pode imaginar. De acordo com Auerbach, quando fecham um acordo, eles querem todos os detalhes incluindo os atores, o diretor, o público-alvo, a bilheteria esperada, a possível participação em festivais e quem e como o filme será distribuído.

MILITÂNCIA ANTI ARMAS EM HOLLYWOOD

Consultores como Mike Tristano, um veterano da indústria cinematográfica que possui sua própria empresa de locação de armas em Woodland Hills – Califórnia, diz já ter trabalhado em operações paramilitares reais, na África, e por conta de sua experiência no mundo ele se tornou praticamente indispensável no set de filmagens, onde, por mais absurdo que pareça, poucas pessoas já empunharam e utilizaram armas reais.

Alguns membros da indústria de armas, que se tornaram amigos de Tristano ao longo dos anos, também se aproximam dele procurando alguma maneira de colocar seus produtos em algum filme, o rifle Steyr SSG 08 calibre 7,62x51mm que aparece no filme Sniper: Special Ops (2016) com Steven Seagall, se deu, em partes, por conta da relação desta empresa com Tristano.

Após quase três décadas como consultor, Tristano começou a se sentir como uma espécie em extinção em Hollywood. Ele tem saudades dos tempos em que trabalhava com heróis como Charlton Heston (que se tornou mais tarde presidente da NRA). Novos produtores olham para ele com desconfiança por ser o cara das armas, dizem que o veem como “um mal necessário”, mostrando assim o preconceito que a indústria cinematográfica tem com os especialistas no assunto, por simplesmente saberem demais sobre armas.

Liam Neeson no filme Busca Implacável 3 usando uma pistola Springfield Armory 1911A1 TRP Operator calibre .45 ACP.

Michael Papac é o consultor mais respeitado e conhecido de Hollywood, participou por exemplo do filme Iron Man (2008), Duro de Matar (1988), Amor à Queima-Roupa (1993) e na franquia de Máquina Mortífera (1987, 1989, 1992 e 1998). Após anos trabalhando com a Warner Bross, Papac começou sua própria empresa especializada em consultoria e aluguel de armas. Papac tem posição política bastante forte e se auto intitula “o cara das armas”, ele foi o consultor de Bruce Willis, Robert Downey Jr. e Arnold Schwarzenegger. Ele disse que a relação entre Hollywood e a indústria de armas é feita de hipocrisia e cita uma dúzia de atores que, apesar de fazerem fortunas em filmes onde empunham e disparam armas o dia inteiro, são “anti armas e odeiam armas”.

Hollywood pode ser bastante sombria ao falar sobre armas de fogo, sabe-se que mais de 50 atores, produtores, escritores e diretores são anti armas, mas pouquíssimos falam abertamente sobre o assunto, apesar de todos terem em sua história no cinema inúmeros filmes em que dezenas de armas de fogo são usadas. O silêncio de Hollywood pode ser atribuído por conta de uma reavaliação de sua influência para promover causas progressistas. De acordo com Steve Levitan, produtor do seriado Modern Family, a eleição americana em que o presidente Donald Trump foi eleito, mostrou que a voz da indústria é um pouco superestimada. Steve reuniu cerca de 50 autores e produtores de TV, nos estudios da 20th Century Fox, em junho de 2016, para discutir sobre a violência armada em nome do grupo “Everytown for Gun Safety.”

Eugene Tackleberry (David Graf) com seu revólver Smith & Wesson 629, calibre .44 Magnum, no filme Loucademia de Polícia (1984).

Ainda assim, estes mesmos tipos anti armas de Hollywood, que usam armas para fazerem milhões de dólares por ano, discordam que o uso de armas de fogo em Hollywood desqualifica sua luta pelo controle de armas. “Acho que qualquer pessoa racional consegue entender a diferença entre escapismo e violência na vida real” disse Levitan em sua entrevista para o canal Fox. Clark Gregg, astro da série Agents Of SHIELD, que empunha uma pistola Smith & Wesson M&P calibre 9mm Parabellum, chama de “fácil” a noção entre a violência no cinema e a violência real e diz também que “não é nada que qualquer outro país também tenha, não só no cinema, mas também em jogos, e estes países não tem as mesmas taxas de violência armada que os EUA tem”. Este ator provavelmente nunca verificou as taxas de homicídios do Brasil, onde temos uma restrita lei de controle de armas e os números de homicídios anuais já ultrapassaram a casa dos 60 mil.

Dustin Lance Black, que estreou filmes como Milk: A Voz da Igualdade (2008) e J. Edgar (2011), cujos roteiros incorporavam o uso de armas de fogo, afirma que o longo relacionamento de Hollywood com a indústria de armas legitimiza sua fala. “Como atores de uma história onde armas são usadas, estamos cientes do benefício disso para os fabricantes, e essa é mais uma razão para militarmos pela reforma de nossa lei sobre armas,” diz ele.

Jesse James, proprietário da Jesse James Firearms Unlimited, fabricante de pistolas personalizadas na plataforma 1911, presenteou os atores Brad Pitt e Angelina Jolie com um par de pistolas 1911 únicas, no ferrolho da arma do ator está escrito “Big Papa” e na da atriz “Mama Knows Best”, além disso as armas são totalmente engravadas a mão, o que torna esses dois modelos totalmente exclusivos.

Tom Arnold, que empunhou diversas armas de fogo no filme “True Lies” (1994) concorda com seus colegas — mas em certo ponto diz que as políticas de Hollywood são mercenárias. “Se você está contando certas histórias você vai necessitar usar armas de fogo” diz ele. “Mas eu não vejo mais pessoas fumando em filmes. Olhe, todo mundo fala que ‘Hollywood é liberal’, mas não acho que isso seja verdade, principalmente em relação a armas de fogo. Hollywood é o tipo de indústria que se fosse necessário, estaríamos gravando na Síria nesse momento”.

Mas não se enganem, a indústria de armas reage aos ataques proferidos por quem usa seus equipamentos no trabalho e fora dele os criticam. Logo após o ataque terrorista à sede do jornal francês Charlie Hebdo, o ator Liam Neeson disse ser favorável ao controle de armas e em resposta a pequena fabricante de armas PARA USA, que forneceu seus produtos para o filme Busca Implacável 3, disse que se arrependia por ter fornecido tais equipamentos e não mais deixaria suas armas serem usadas em filmes que esse ator estrelasse. Importante lembrar que esta é uma pequena empresa fabricante de armas de fogo, e suas armas tem pouca participação no cinema, mas sua posição é extremamente significante mostrando como os atores tem o poder de influenciar decisões relacionadas ao uso de armas de fogo tanto no set de filmagem quanto no “mundo real”.

No escritório da ISS, o proprietário Bilson – que se auto intitula um entusiasta moderado sobre armas, acredita que deve haver um senso comum sobre a legislação de armas nos EUA. Ele acredita que deve ser criado um banco de dados nacional de registro, “e várias outras coisas que a NRA é contra”, mostrando uma opinião que fica no meio do fogo cruzado entre a indústria bélica e a indústria de filmes. Quando ele não está se esquivando dos comentários de LaPierre (presidente da NRA) sobre a violência nos filmes de Hollywood, ele está lendo sobre a legislação local, estadual, federal e internacional sobre armas já que a ISS é sempre auditada pela ATF (Alcohol, Tobacco, Firearms and Explosives – Agencia do FBI que regula as armas de fogo nos EUA), pelo Departamento de Justiça e pela Polícia de Los Angeles.

ARMAS DE FOGO E HOLLYWOOD
John Wick (Keanu Reeves) usando uma pistola H&K P30L customizada, calibre 9mm, no filme John Wick (2014)

Como presidente da “American Entertainment Armories Association” (algo como Associação Americana de Armerias para Entretenimento), Bilson está em contato constante com a MPAA (Motion Picture Association of America) para conseguirem algumas exceções como tempo menor para estarem em posse de armas curtas, pois, de acordo com ele, é injusto um consultor ter que esperar 10 dias para conseguir uma arma, pois muitas vezes aquele profissional precisa da arma na hora, para ser usada se não no mesmo dia, no dia seguinte no set de filmagens. Como não existe nenhuma regra que realmente regule os consultores, os legisladores têm que se virar e os consultores se adaptarem às alterações da melhor forma possível.

Por fim, é claro que as histórias continuarão a ser contadas com o uso de armas de fogo, pois as armas fazem parte da história da humanidade. Elas desempenharam e ainda desempenham, papel importante na luta pela liberdade. Hollywood, como qualquer outra instituição ou pessoa que prega o desarmamento, é hipócrita, pois pregam para a sociedade uma coisa, mas na prática, lucram milhões de dólares com o uso daquele objeto  que tanto demonizam.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Criador do blog Firearms Brasil. CAC vinculado à 4RM, mineiro e apaixonado pelo mundo das Armas de Fogo.

One thought on “ARMAS DE FOGO E HOLLYWOOD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *