Qual o melhor? 9mm Parabellum, .40 S&W ou .45 ACP ?

Assunto polêmico, que podemos discutir por horas sem parar. Tem gente que jura que o .45 ACP derruba avião, mata elefante só de susto e um disparo de raspão em um criminoso faz ele voar 10 metros e dar duas cambalhotas no ar. O 9mm Parabellum tem poder mágico de transfixação, passa por 20 pessoas e é feito para perfurar blindagem de carros de combate.

O .40 S&W, coitado, fica no meio dos dois. Na verdade é a munição inventada para resolver os “problemas” dos outros dois calibres de fogo central mais populares do mundo, acima citados. É o calibre que trouxe ainda mais discordância à discussão, o irmão do meio.

Estou sendo sarcástico, óbvio. Mas melhor explicar, porque tem gente que realmente acredita no que escrevi acima.

Balística: Na verdade, já fiz vídeos sobre o assunto, tenho muitas tabelas balísticas, uma que vou discutir abaixo, mas a conclusão no final desse artigo pode assustar alguns defensores ferrenhos de qualquer um desses calibres.

11095669_373875869463166_1446121584_n
A tabela acima mostra algumas munições típicas de defesa para os 3 calibres.

Como vocês podem notar, existem algumas diferenças balísticas e em “poder de parada”. Na verdade os dados balísticos são até bem próximos, típicos de munições armas curtas, que são, sem outras palavras melhores para definir, extremamente fracas. Compare com qualquer munição de fuzil e esses calibres são brincadeira de criança.
Poder de parada então, é um dado extremamente perigoso, que depende de cada situação, de cada atirador e de cada agressor. Entram aí estado mental, porte físico, região do corpo que foi atingida e inúmeras outras variáveis que tornam esse dado quase que irrelevante para uma análise mais séria. É um dado, mas na minha opinião não é um dado tão confiável, que tem que ser pensado com muita crítica e caso a caso.

Em termos de velocidade, o 9mm é o mais veloz e o .45 ACP é o mais lento. Mas isso não quer dizer muita coisa a curta distância. Em energia, o .40 e o .45 quase que empatam e o 9mm fica um pouco atrás. Em “poder de parada” o .40 S&W leva uma pequena vantagem, mas é o dado menos confiável dessa tabela.

Na verdade eu tenho muitas tabelas, de muitas outras fontes, todas mostrando dados parecidos, que no final só me deixam uma conclusão ao analisar a balística e poder de parada dessas 3 munições. Elas são praticamente idênticas para qualquer fim prático. A discussão de qual desses 3 calibres é melhor, olhando para uma tabela de balística, na minha opinião, é completamente inútil.

Até um .380 ACP vai fazer o trabalho direitinho, se a principal variável fizer sua parte: o ATIRADOR.

O atirador, seu treinamento, prática, sangue frio, agressividade, e todo o resto do conjunto de habilidades necessárias para entrar em combate, é o principal fator em questão, não o calibre escolhido.

O que realmente importa?

Se você conseguir colocar os disparos de qualquer um desses 3 calibres, 9mm, .40, ou .45 no lugar correto, o agressor provavelmente vai parar. Se você errar todos seus disparos porque você não é preciso com o calibre que escolheu, você provavelmente não estará vivo para contar a história.

Atirar bem com um desses 3 calibres, mesmo com o considerado mais fraco, é infinitamente mais importante que a escolha de um deles.

Ah! G.A, mas e como eu escolho um deles então?

Em minha opinião, os 3 são praticamente idênticos em balística a curta distância. A escolha de um desses calibres deve levar em conta sua aversão ao recuo, precisão, peso, capacidade, facilidade de achar a munição (para poder praticar), custo, emprego em sua filosofia de uso.

No quesito recuo, o .40 perde, seguido do .45 e do 9mm. Isso em armas pequenas, principalmente para porte velado. E isso tem que ser levado em consideração, pois aversão ao recuo é um dos principais fatores que impedem um atirador em colocar disparos rápidos e precisos em um alvo.

Precisão, isso é pessoal. Cada um atira melhor com um calibre diferente. Considero esse item o mais importante de todos. Cada um é mais preciso com uma arma/calibre diferente, escolha aquele que você se sente mais confiante em acertar disparos.

No quesito capacidade, o .45 perde para o 9mm e para o .40. Esse é um ponto negativo para essa munição.
Custo e facilidade de achar a munição. Não adianta nada ter uma arma no Brasil e não poder achar a munição, dar 50 disparos e eles custarem mais caro que a própria arma. Esse item também é importantíssimo. Pense muito em disponibilidade de calibres na região que você mora e em seu custo. Treinar e manter prática periódica é caro, melhor poder fazer isso mais vezes, de preferência com o menor custo possível. Entre os 3 calibres citados, se você atira bem com todos, escolha o mais barato.

Filosofia de uso. Em armas longas, para uso em serviço e porte ostensivo, qualquer um desses calibres vai ter opções de armas com capacidades parecidas e com recuo controlável. Quando a filosofia de uso muda e são utilizados em armas curtas, isso muda muito. Ter um cartucho a mais em uma arma que tem 5 de capacidade é relevante. Ter recuo menor e mais precisão também. Atirar com armas curtas pode ser um desafio até para atiradores experientes. Nesse quesito o 9mm é muito superior aos outros dois. Na minha opinião, quanto menor a arma, menor deve ser o calibre (até no mínimo um .380 ACP), para melhorar tanto capacidade quanto recuo e consequentemente precisão.

Pense em sua filosofia de uso e tipo de arma que vai utilizar a munição, antes de tomar uma decisão.

Concluindo, qual desses 3 calibres é melhor em termos de balística? Tanto faz. O que importa, na minha opinião, são outros fatores, que descrevi neste texto. Dei minha opinião em relação a cada fator que acho relevante, podem ter mais. Mas espero ter passado alguns dados que ajudem na escolha de um desses 3 calibres.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Um brasilerio que mora na Florida - EUA e apaixonado por armas de fogo. Economista, youtuber (Canal Gosto de Armas), com foco em análise de armas e munições pelo ponto de vista civil. Mudei para os EUA a trabalho, onde posso realizar meus sonhos em relação a colecionismo e recreação com armas de fogo.

15 COMENTÁRIOS NO ARTIGO: “Qual o melhor? 9mm Parabellum, .40 S&W ou .45 ACP ?

  1. Com a .45 e Federal Hydra Shok da pra desviar da bala de tão lento que é.
    Esse é ideal para o treino dos amantes de Matrix.

  2. Parabéns. Muito elucidativa sua análise.
    Linguagem simples, clara, objetiva e, principalmente, isenta de paixões por esse ou aquele calibre.
    Concordo plenamente no tópico abordado, em que mais vale um alvo acertado com um calibre menor do que o que não o é com um calibre mostruoso.
    Outra questão muito bem abordada é quanto ao segundo tiro. O recuo tem de ser confortável para que o atirador possa continuar com um bom enquadramento e, portanto, atingindo o alvo. Isso é o que faz a diferença.
    Parabéns!

  3. MUITO BOM!!!
    Sou policial e utilizo .40 a muito tempo, apenas.
    Recentemente, com a liberação dos CALs .45 e .357, pude testar o .45 ACP… kkk!
    me surpreendi, havia muito mito entorno deste cal, mas td q vc flou é verdadae, já estou condicionado com o .40, mas querendo agora o .357 q, embora não mencionado (pois n fazia parte da contenda) é superior aos demais em tds os requisitos balísticos, mas claro q isso n importa, pois varia de atirador p atirador, com vc falou, além de se tratar de um revolver.

    1. O grande problema do .357 é a capacidade…. o calibre .357 sig direcionado para pistolas são diferentes do .357 magnum para revólver. Quanto a balística eu n sei dizer…

  4. Ótimo artigo, e o pior é que quem acredita em lendas e mitos, julgando-se conhecedor do assunto ainda discordaria disso. Muita paz!

  5. Muito coerente a abordagem apresentada no texto acima, porém digo que gosto MUITO da .45 ACP e acredito que quem fale que as 3 são muito parecidas, esteja levando em consideração apenas o “poder de parada”. Porém se levarmos em consideração o quesito “letalidade”, acredito que a .45 sairá vencedora. Partindo do principio que as 3 municoes sao do mesmo tipo, qual das 3 armas realizará a maior “cavidade” no alvo ?? Sangue eh vida, a maior cavidade fará com que mais sangue seja perdido, e com isso, a rápida queda da pressão arterial e consequentemente o óbito mais rapido.
    Abracão

  6. Caro Fabiano,
    Permita-me discordar de tua afirmação pois cada calibre tem prós e contras; e, cabe a nós usuários decidirmos quais vantagens nos são nescessarias e quais desvantagens podemos nos adaptar.
    Uma delas (9mm) tem maior poder de penetração (ideal para roupas pesadas e pequenos obstáculos) enquanto a outra (.45) gera maior choque hidrostático (teoricamente incapacitação em menor tempo).
    A primeira é supersônica com maior velocidade de ciclagem; e, a segunda é subsônica sendo mais eficaz com silenciador (proibido no Brasil).
    Por ser supersônica e utilizar projéteis leves (115 grains padrão) a 9mm tem uma trajetória mais tensa enquanto a .45 por utilizar projéteis mais pesados (230 grains padrão) sofre menos a interferências do vento.
    Isso por estarmos nos restringindo a calibres de pistolas pois se fosse sobre handguns em geral ainda teríamos material de confecção, tamanho, alcance, capacidade, etc… Como você pode ver, existem muitos fatores que interferem na escolha da arma/calibre ideal.
    Abraço.

  7. Parabéns pelo artigo e pela coragem de tomar uma posição que pode ser criticada.
    Concordo que o atirador é um fator preponderante sobre a eficácia do armamento.
    Visando contribuir com as informações e dados apresentados, já tive a oportunidade de utilizar profissionalmente todos os calibres mencionados, acabando por verificar que sob situação de stress o tiro com uma arma de calibre 9mmP se mostra mais controlável.
    A arma .45 ACP, em razão do peso também permite um controle maior e diminui os efeitos da puchada de gatilho com força excessiva ou com desvio.
    Já o calibre .40S&W, em face do peso e das dimensões da arma, acaba sendo o de controle mais difícil.
    Com relação ao resultado final, o que chamamos de balística terminal, sem considerar pontos vitais, considerando o uso de colete balístico e tiro na região do tronco, o calibre .45 ACP permite um impacto maior e diminui o tempo de reação do agente, permitindo o segundo tiro na região da cabeça.
    Também já verifiquei o poder de transfixação do calibre 9mmP e a reação quase que imediata do agressor atingido, o que me faz temer o mencionado calibre.
    Todavia, a capacidade de munição, a portabilidade e fator de dissimulação, bem como qualidades de precisão de tiros a distâncias maiores que 15 metros, tornam este calibre mais adequado que os demais.
    Já o combate em locais fechados ou a uma distância máxima de 5 metros, o que é característico em região urbana e dentro de construções, o calibre .45 ACP, com munição +P se mostrou mais adequado.
    Acabei por optar pelo uso do calibre .40 S&W pela capacidade de munição, dissumulação, características balísticas medianas com relação aos demais.
    Porém, o desgaste do armamento com este tipo de munição é menor e a qualidade da munição da CBC deixe muito a desejar.
    A verdade é que não existe uma munição e um armamento ideal para todas as situações, sendo que cada missão exige um determinado armamento.
    Porém, como não podemos sair de casa carregando um arsenal, precisamos verificar qual munição e qual arma possui condições de responder adequadamente aos diversos teatros que iremos ou poderemos enfrentar no dia a dia.
    Caso seja possível um conselho, recomendo o uso de dois armamentos no mesmo calibre e com a possibilidade, caso sejam pistolas semiatomáticas, de intercâmbio de carregadores, uma vez que armas podem quebrar e serem perdidas em operações.
    Parabéns pelo artigo.

  8. Estudei a fundo e tecnicamente! “STOPPING POWER” é física! Física é fato! É o estudo dos fenômenos da natureza… “STOPPING POWER” é a transferência de energia do projétil para o alvo, energia cinética é massa multiplicada pela velocidade ao quadrado dividido por 2! Contra fatos não há argumentos! É física! A física é interpretação teórica da prática! Os norte-americanos desenvolveram o .45 para derrubar o índio do cavalo na época do velho oeste, podia até não matar o índio, mas o impedia de continuar avançando para cima do americano e o escalpelasse! Com um tiro de .45 o índio caia e o atirador ganhava tempo para um disparo mais preciso! Não aceitem estudos levianos que queiram distorcer a realidade para justificar uma decisão “econômica” ou quiçá política. Farei uma analogia:
    9mm é uma bola de golf, viajando muito rápido mas muito leve… se te acertar na cabeça mata, mas se for no resto do corpo só vai doer.
    .40 é uma baseball, mais pesada que a de golf, mas mais lenta também. Obviamente que um acerto na cabeça mata e no resto do corpo vai fazer um estrago. É o calibre intermediário.
    .45 é uma bola de boliche… não importa onde vai acertar… ela vai te derrubar! Vai cessar sua ação… dando mais tempo para uma visada melhor e um segundo disparo mais preciso.
    Um .22 na cabeça mata também, mas a pergunta é: e se vc não acertar na cabeça? Uma coisa é acertar um alvo de papel, outra é uma alvo que se move rapidamente, barricado, atirando em vc, sua adrenalina a 1000 por hora e suas mãos tremendo e suando.
    Um estudo dos EUA que li, disse que aproximadamente 70% das pessoas que reagiram com arma de fogo em uma situação de perigo (nos EUA) resolveram a situação com até 2 disparos! O restante descarregou a arma, ou seja, ficou atirando até acabar a munição!
    Eu prefiro a bola de boliche! Mas isso é uma escolha minha… como é difícil assegurar onde o tiro vai acertar, eu prefiro que meu alvo caia! E eu tenha chance de fugir ou atirar novamente.

    1. Bom dia. Zeca Motta, compartilho o mesmo pensamento! Agora, qual munição utilizar ? Gold hex, Copper Bullet, ogival ou bonded?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *