Como assim eu posso?

Como assim eu posso?

Chocado, foi essa minha reação quando um amigo americano me disse que eu poderia comprar uma arma de fogo legalmente, mesmo sem ser cidadão americano, mesmo sem green card.

Fiquei mais chocado ainda quando descobri que eu poderia comprar quaisquer e quantas armas quisesse, quantas munições quisesse, todo o equipamento de recarga que quisesse, coletes balísticos, lunetas, equipamento de visão noturna, tudo sem limites, sem nenhum registro, completamente legal.

-Posso comprar fuzil? AK47, FAL, AR15, HK, Mauser, Barrett?

-Pode, porque não? (Responde meu amigo meio assustado)

– Mas não tem registro?

Meu amigo já nervoso responde – No dia que vierem registrar minhas armas eu mando toda a munição primeiro, vai ser a segunda guerra civil americana se esse dia chegar. Pra que você precisa de registro? Um pedaço de papel vai evitar um crime? Quer confiscar minhas armas?

Meu estado de choque aumentando a cada segundo, incrédulo, mas com um sorriso de lado a lado, pensando “daqui eu vou direto pra loja de armas”. Meu amigo não tinha como entender o que eu senti naquele momento, porque ele nasceu num país realmente livre, onde sua constituição foi feita em cima do sangue de seus antepassados, e cada grama de liberdade foi conquistada com muito suor e trabalho. O resultado, liberdade individual, tanta liberdade que nem em meus sonhos imaginava.

É bizarro. Me sentir mais livre, mais respeitado como indivíduo em outro país do que em meu próprio país. Como brasileiro, já estava acostumado a ter meus direitos naturais tolhidos pelo estado babá. Já estava acostumado a abaixar a cabeça, a não lutar, a debochar da vida para aliviar o stress, e a obedecer as regras de um estado democrático só no nome.

Passei a me interessar mais por política a partir daquele dia, e eu mudei muito. Me acostumei com a liberdade. Liberdade, que quem nunca teve não consegue entender, assim como eu não entendia, até aquele dia. Minha conversa com esse amigo durou mais duas horas, e eu saí feliz por poder começar a realizar meus sonhos, mas me sentindo enganado. Enganado por meu próprio país.

Depois desse dia me pergunto todo dia. O que aconteceu com o Brasil? Como é que a hipocrisia do politicamente (burro) correto venceu? Porque é que para realizar meus sonhos eu tenho que mudar de país? Como é que conseguiram enganar tanto os brasileiros com tantas mentiras?

Dentre essas mentiras está a forma como o brasileiro foi condicionado a pensar sobre armas de fogo. Eu era uma pessoa razoavelmente informada na época dessa conversa com meu amigo, mas já estava condicionado a pensar que eu não podia. Isso porque eu não podia nada no Brasil.

Uma das coisas que saiu daquela conversa com meu amigo foi uma pequena semente para o inicio do Canal Gosto de Armas no Youtube. Eu sabia da situação temerária em relação ao desarmamento no Brasil, e decidi me engajar um pouco mais. Mostrar a brutal diferença Brasil-EUA em relação às armas de fogo é uma das missões do canal, e será um dos focos dos textos que escreverei para o firearmsbrasil.com. Assim talvez alguns brasileiros tenham pelo menos uma pequena ideia do que é liberdade. Sim, armas de fogo garantem liberdade. E quem sabe alguns desses mesmos brasileiros que acompanham meus vídeos, e agora esses textos, não sejam os que no futuro vão fazer do Brasil um país realmente livre.

Abraços,

G.A.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Um brasilerio que mora na Florida - EUA e apaixonado por armas de fogo. Economista, youtuber (Canal Gosto de Armas), com foco em análise de armas e munições pelo ponto de vista civil. Mudei para os EUA a trabalho, onde posso realizar meus sonhos em relação a colecionismo e recreação com armas de fogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *