HISTÓRIA DAS ARMAS DE FOGO E SEUS SISTEMAS DE OPERAÇÃO: CANHÃO DE MÃO, MATCHLOCK E WHEELLOCK

Olá leitores! Desde que lancei este blog eu idealizava fazer esta série de artigos: contar o desenvolvimento histórico das armas de fogo e mostrar como tudo foi surgindo. Isso sempre foi uma das minhas grandes vontades, porém, por conta do trabalho, nunca consegui parar para escrever tais artigos, mas finalmente fui vencido. Com a ajuda de meu grande amigo Daniel Vazquez, engenheiro mecânico com vasto conhecimento técnico no assunto, faremos uma série de artigos contando a história e os modos de operação das armas de fogo.

Para falar da invenção das armas de fogo, devemos falar primeiro sobre a invenção da pólvora. Este composto foi inventado na China, provavelmente nos anos 800 d.C, onde alquimistas antigos misturaram enxofre, nitrato de potássio, petroquímicos e mel para formar uma substância que queimasse de forma violenta. Rapidamente os chineses começaram a usar este composto em suas guerras, criando tipos de bombas e lança chamas. Por volta do ano 1100 d.C, eles começaram a usar este composto para lançar projéteis contra seus inimigos através de um tubo, e assim nasceu a primeira arma de fogo: o chamado canhão de mão. A primeira fórmula da pólvora foi escrita em 1267 d.C, por Jorge Bacon em seu livro “Opus Majus”. O conhecimento do uso da pólvora e de armas de fogo se espalhou da China para a Europa através das arábias, e após chegar na Espanha e Grécia, a notícia continuou se espalhando para outros países do norte. As armas de fogo chegaram à Índia através de invasores muçulmanos que provinham da Ásia Central, e seu uso rapidamente se espalhou à outros reinos e países do sul.

canhão de mão
Canhão de mão encontrado no Oeste Europeu, datado de 1380 d.C

O canhão de mão, a primeira arma de fogo de que se tem registro, consistia em um tubo de bronze, madeira ou bambu, com uma de suas extremidades vedada e possuía um orifício próximo à essa, que era responsável pela introdução manual de um pavio com uma brasa de carvão ou um metal incandescente que servia para dar ignição à pólvora que era colocada pela extremidade aberta e ficava acumulada à “câmara” (parte de trás da arma). Os gases da explosão empurravam então o projétil para frente, fazendo-o viajar por um cano sem raiamento (de alma lisa). Já o projétil, era introduzido à arma logo após a pólvora e pela mesma extremidade.

Componentes do sistema de disparo de uma arma matchlock
Componentes do sistema de disparo de uma arma matchlock

O primeiro aperfeiçoamento do canhão de mão ocorreu no século XV com a invenção das armas de Matchlock, seu uso remonta no início dos anos 1400. A alimentação das armas Matchlock ocorriam da mesma forma do canhão de mão, pela extremidade aberta do cano, entretanto não é de se espantar que a evolução deste tipo de armamento se deu pela adição de um gatilho, já que as balestras (Crossbows) já possuíam este tipo de mecânica para disparar. Seu sistema de disparo funcionava da seguinte forma: um pavio de queima lenta aceso ficava preso à uma peça (chamada de “suporte da mecha” ou serpentina) que era puxada para trás e ao acionar o gatilho esta peça descia e incendiava a pólvora na caçoleta, e através de um furo ao lado desta bandeja externa, as chamas produzidas incendiavam o resto da pólvora no interior do cano, os gases da combustão eram gerados e todo o resto do processo vocês já conhecem. Com este novo sistema, o atirador podia manter as suas duas mãos na arma, tendo maior precisão em seus disparos. Este tipo de armamento, apesar de ter ficado mecanicamente obsoleto, era barato, e por isso continuou a ser fabricado até meados de 1700 na maior parte do mundo.

matchlock
Clique na imagem para ativar a animação e entender o funcionamento das armas Matchlock

Foram criadas versões deste tipo de armamento com mais de uma serpentina, e até mesmo com um tambor que poderia acumular várias cargas de pólvora e projeteis, e girava. Este sistema era parecido com os atuais revólveres, apesar de ser quase todo manual. Este tipo de armamento pode ter sido usado ainda em 1520, de acordo com o Museu de Nuremberg, onde estas armas estão expostas.

As Matchlocks foram usadas pela primeira vez pelo Império Otomano, no ano 1400. Em 1526 este armamento foi introduzido na Índia pela invasão do primeiro imperador Mongol da Índia, o Babur. Em 1543 vassalos portugueses naufragaram na costa da ilha de Tanegashima, no Japão, e desta forma estas armas chegaram às mãos do povo japonês, que rapidamente a copiou e começou a usar em suas guerras internas. Pouco tempo depois o imperador japonês, com medo das revoltas populares, instalou a primeira Lei de desarmamento do Japão, proibindo que camponeses pudessem adquirir, e portar armas de fogo.

Carabina matchlock com sistema giratório, datado de 1540 - 1550.
Carabina matchlock com sistema giratório, datado de 1540 – 1550.

Rifle matchlock usado pelo Império Otomano no século XVI.
Rifle matchlock usado pelo Império Otomano no século XVI.

Rifles matchlock Tanegashima.
Rifles matchlock japoneses chamados de Tanegashima, em referencia à ilha que foram encontrados.

L-Drehling, ~1620. 1 kl
Carabina matchlock com sistema de tambor com capacidade de 8 munições. Datado de 1520.

Este tipo de armamento, apesar de ter ficado mecanicamente obsoleto rapidamente, era barato, e por isso continuou a ser fabricado e usado séculos após sua invenção. Existem relatos de seu uso até no século 20, no Timor Leste. A maioria destas armas possuíam a alma lisa, mas modelos mais “recentes” chegaram a possuir o cano raiado.

wheellock
Codex Madrid I.1, f. 18v

A data e o inventor do sistema Wheellock, sucessor das Matchlocks, são imprecisos. Sabe-se que sua criação ocorreu entre 1450 e 1520, na Europa. Há fortes indícios de que o verdadeiro criador deste sistema foi nada menos que o inventor Italiano Leonardo Da Vinci, pois o sistema descrito por ele em Codex Madrid I.1, f. 18v, é muito parecido com o que foi empregado no tipo de armamento à seguir. Diferentes autores dizem também que apesar de Leonardo ter inventado este sistema foi o relojoeiro alemão, Johann Kiefuss, que, em 1517, fabricou e disseminou este armamento, mas sobre este último fato há muitas divergências, principalmente em relação as datas. Outros autores dizem que o sistema Wheellock foi inventado por volta de 1500, pelo relojoeiro Peter Henlein. Algo que todos são unânimes em dizer é que, apesar de não saberem com exatidão quem o inventou, a primeira arma a utilizar o sistema Wheellock foi produzida em Nuremberg, cidade polo da relojoaria, pois na época apenas bons relojoeiros possuíam técnica e tecnologia o suficiente para construir um sistema tão complexo.

O sistema Wheellock consistia em 3 principais dispositivos: o cão, que segurava uma pirita de ferro; uma roda serrilhada com um eixo no centro, localizada logo abaixo do cano; e o gatilho.

O design das armas, como hoje em dia, variava em cada peça produzida. Nem todas, por exemplo, possuia uma tampa da roda serrilhada, nem todas possuíam guarda mato, etc.
O design das armas, como hoje em dia, variava em cada peça produzida. Nem todas, por exemplo, possuía uma tampa da roda serrilhada, nem todas possuíam guarda mato, por exemplo.

Após alimentar a arma, e colocar um pouco de propelente na caçoleta, era necessário então dar 1/4 de volta no eixo da roda com uma “chave”, fazendo isso você comprimia uma mola que travava esta roda, posicionava-se então manualmente o cão, com a pirita de ferro, sobre a roda. O cão ficava tensionado por uma mola para permanecer na mesma posição, ao pressionar o gatilho a mola que segura a roda era solta esta roda girava em contato com a pirita de ferro, gerando faíscas que acendia a pólvora na bandeja; o restante do processo de disparo acontecia da mesma forma que em outras armas de fogo. No final do século XV foi introduzida uma tampa para a caçoleta que protegia o propelente das intempéries, e permitia que o atirador andasse com a arma “pronta” para disparo. Porém, para de fato efetuar o disparo, esta tampa devia ser movida para trás manualmente deixando o propelente exposto,  o que aumentava ainda mais o tempo entre um disparo e outro.

Pistola Wheellock de 2 canos, nela havia consequentemente dois mecanismos de disparo, que eram ligados ao mesmo gatilho.
Pistola Wheellock de 2 canos, pertencia ao Imperador Charles V, criada pelo armeiro e relojoeiro Peter Peck. Nela havia dois mecanismos de disparo, podendo disparar então com um cano de cada vez.

Entretanto, o gatilho de alguns modelos deste tipo de armamento era linkado à  tampa da bandeja de pólvora, que se abria automaticamente quando era acionado.

Apesar de ser uma arma mais confiável e o tempo entre seus disparos ser menor que as Matchlocks, sua mecânica era complexa demais para a época, tornando as armas caras. Apenas nobres e ricos mercadores tinham dinheiro suficiente para ter uma arma para uso pessoal deste tipo, e era quase impossível equipar todo um exército com este armamento portanto apenas oficiais da cavalaria as possuíam.

E ficamos por aqui com a primeira parte de nossa série sobre a História das Armas de Fogo e seus mecanismos de disparo. Fiquem de olho em nosso blog que logo mais postaremos a segunda parte desta série de artigos.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Criador do blog Firearms Brasil. Atirador Informal, Técnico em Informática, mineiro e apaixonado pelo mundo das Armas de Fogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *