BAR M1918 .30-06 SPRINGFIELD

Olá amigos, sejam bem vindos a mais um artigo cujo falamos de uma arma feita por John Moses Browning. E não vamos parar por aí, principalmente porque sou um grande fã dele e de suas criações, como a pistola modelo M1911 e do calibre .45ACP. É impossível falar de armas da Segunda Guerra Mundial e não citar algumas criadas por ele, mas desta vez vamos falar um pouco sobre a BAR M1918.

browningO famoso projetista americano criou o BAR (Browning Automatic Rifle) M1918 durante a Primeira Guerra Mundial, a pedido do Corpo Expedicionário do Exército Americano. John Browning levou à Washington DC dois projetos de metralhadoras, a pesada M1917, que já estava pronta em 1910, e um rifle automático que poderia ser disparado da altura dos ombros, conhecida na época como BMR (Browning Machine Rifle), ambas as armas usavam o calibre .30-06 Springfield, que era padrão na época. As armas foram testadas pelo próprio Browning e depois de passarem em todas as provas, foram adotadas imediatamente. Ainda em julho de 1918, a arma chegou aos campos de batalha da França pela primeira vez, e seu primeiro emprego se teve na 79ª Divisão de Infantaria do Exército Norte-Americano. Durante o conflito, os americanos e demais forças aliadas usavam metralhadoras Hotchkiss M1909 e rifles Chauchat, que possuíam diversos problemas de funcionamento levando os EUA a pedir a criação deste armamento. A própria França chegou a encomendar 156.000 exemplares da arma até o fim da guerra.

Leia também:Armas de Perdeneira

browningfO projeto foi criado com a intenção de alimentar os grupos de infantaria, e servir como um rifle leve de emprego pessoal, entretanto passou a maior parte de sua vida útil servindo como uma Metralhadora de Suporte Leve. A arma possuía um seletor de modo de disparo entre semiautomático e automático. A versão original da arma (M1918) não possuía qualquer tipo de apoio para tiro, ela foi feita para ser disparada na altura dos ombros ou do quadril, com a ajuda de sua bandoleira. Os operadores desta arma teriam a vantagem de ter um armamento com alto poder de fogo móvel, pois as metralhadoras da época não podiam ser transportadas e disparadas por apenas uma pessoa por serem muito pesadas (Uma MG-42 pesa em torno de 12kg e uma Browning 1919A2 10kg).

bar m1918O projeto da arma permaneceu imutável até os anos 30, quando em 1922 uma nova versão foi desenvolvida, o modelo M1922. O que difere este para o modelo original, era apenas a adição de um bipé que ficava logo na frente do guarda-mão, além disso esse bipé possuía pontas de hastes de esqui. Nesta versão foi empregada também um “monopé”, na coronha e seu cano possuía também um dissipador de calor.

Em 1937, o projeto foi alterado novamente, e nasceu aí o modelo M1918A1. Desta vez, a arma possuía seletor de modo de disparo entre automático e semiautomático, uma chapa dobrável na coronha para apoio da arma nos ombros durante os disparos e um bipé que ficava localizado no mesmo lugar do modelo anterior. Infelizmente este modelo teve um curto tempo de vida, pois logo em 1939 a nova e final versão americana da BAR M1918 veio à tona, a BAR M1918A2 produzida pela Colt, Marlin-Rockwell, Winchester e IBM. Neste modelo, os modos de disparo se diferenciavam entre “rápido”, entre 500 a 650 disparos por minuto, e “lento”, que variava entre 300 a 450 disparos por minuto, os bipés foram alterados e passaram a se localizar logo atrás do quebra-chamas, ele era ajustável e removível, além de ter suas pontas chapadas. Foi adicionado ao projeto também uma alça de transporte, que também é removível. A alça de mira era parecida com a do rifle Springfield M1903, algo meio estranho para uma metralhadora.

B.A.R M1918A2
BAR M1918A2

Este armamento, como já foi dito anteriormente, foi criado para ser uma arma leve usada nas trincheiras, mas seu objetivo não foi atingido, pois pesava mais ou menos 7,2kg. O bipé da arma era desajeitado e pesado, fazendo com que a maioria dos utilizadores da arma jogassem essa peça fora. Quando disparado da altura dos ombros era praticamente impossível manter a mira. A força dos disparos em modo automático de uma arma em calibre .30-06 (7,62x63mm) não era brincadeira, a arma vibrava muito. Somado a isso, a pouca quantidade de munição no carregador (20 munições) e a impossibilidade de trocar o cano da arma, fazia com que fosse difícil fazer o “fogo a marchar”, estratégia em que o operador da BAR acompanhava seus companheiros, que corriam de trincheira em trincheira, disparando sua arma em direção ao inimigo, ou qualquer tipo de sustentação de fogo. Ele acabou sendo utilizado como um fuzil automático comum, coisa para qual ele não havia sido originalmente projetado.

Soldado Americano durante a Segunda Guerra Mundial com um BAR M1918 que não havia sido modificado para M1918A2.
Soldado Americano durante a Segunda Guerra Mundial com um BAR M1918 que não havia sido modificado para M1918A2.

Especificamente nos combates no Pacífico, o BAR M1918A2 foi utilizado da forma para qual foi desenvolvido: um rifle automático portátil, disparado do ombro. O BAR M1918A2 era empregado na frente ou na retaguarda das patrulhas na selva ou nas colunas de infantaria onde sua potência de fogo poderia ajudar no combate de selva, caso houvesse alguma emboscada. Depois de um período de serviço, o BAR ficava inoperável ou tinha mal funcionamento. Descobriram então que eventualmente o soldado descarregava todo o seu BAR M1918A2 alinhado verticalmente ao alvo, permitindo então que o fluido de limpeza e pó queimado se localizasse no mecanismo de recuo. Distinto do M1 Garand, o cilindro de gás do BAR nunca foi mudado para aço inoxidável. Por conta disso, quando a arma era empregada em ambiente úmido, seu cilindro de gás devia ser removido e limpo diariamente.

O BAR M1918A2 era conhecido pela FEB como Fuzil Metralhadora, ou simplesmente FM. Cada pelotão de fuzileiros era composto por três Grupos de Combate. O poder de fogo desses grupos era garantido pelo FM, que era empregado como uma metralhadora leve, dando apoio ao avanço dos volteadores (soldados armados de fuzis Springfield M1903), que tinham como função assaltar as fortificações inimigas durante os ataques.

Leia também:The Big Bang Pistols Set

Criado como apoio de fogo automático para apoio a uma esquadra, todos os homens eram treinados ao nível básico em como operar a arma no caso do operador do BAR ser morto ou ferido. Em uma tentativa para superar a capacidade limitada de fogo contínuo, os Marines e outras unidades do Exército Americano, usavam duas equipes de fogo por esquadra com o BAR. Uma equipe proveria fogo de cobertura até que sua munição acabasse, sendo então substituída pela segunda equipe que passaria a abrir fogo, permitindo que a primeira equipe recarregasse e assim por diante.

FN Type D acima e WZ 28 polaco abaixo.
FN Type D acima e WZ 28 polaco abaixo.

Após a Segunda Guerra Mundial o BAR M1918A2 chegou a ser utilizado na Guerra da Coreia e na fase inicial da Guerra do Vietnã. Algumas unidades desta arma permaneceram em uso pela Guarda Nacional do Exército Americano até meados dos anos 70. Não são poucas as nações que utilizaram esta arma em suas forças, dentre estes países é interessante citar principalmente a Bélgica, Suécia e Inglaterra.

Browning chegou a vender seu projeto à FN (Fabrique Nationale), que fabricou dois modelos de BAR, o modelo FN M1930 e Type D. O modelo M1930 foi empregada nas Forças Armadas Belgas, e foi empregada também nas Forças Armadas Polacas (na Polônia era chamado de WZ1928). Seu calibre era o 8mm Mauser (7,92x57mm), e possuía um cabo para segurar a arma (pistol grip). As pontas de seu bipé eram mais largas e verticais ele era fixado ao tubo de gás. Seu guarda mão também é diferente, e seu cano possuía dissipador de calor. Já o Type D tinha seu cano destacável para substituição rápida.

Obar m1918s suecos possuíram os modelos Kulsprutegevär M21 e M37 (Kulsprutegevär significa metralhadora de mão). Estas armas eram fabricadas nos EUA, mas tinham especificações suecas. O modelo M21 possuía pistol grip (cabo) destacável, bipe com ponteagudos que eram fixados ao final do tubo de gás, seu guarda mão era mais extenso e seu calibre era o 6,5x55mm. Já o M37 se diferenciava do modelo anterior por ter cano destacável para substituição rápida. Posteriormente estes modelos passaram a ser fabricados pela Carl Gustaf, na Suécia. Já os ingleses usaram durante a Segunda Guerra Mundial o BAR em calibre .303 British. Ela foi empregada na Home Guard (Milícia de Defesa Territórial Britânica).

Colt R75 (M1925)
Colt R75 (M1925)

Outro modelo interessante é o chamado de Colt Automatic Machine Rifle M1925, ou R75, obviamente fabricado pela Colt este modelo era destinado ao mercado civil, agências policiais, e vendas externas, (o Brasil foi um dos compradores deste modelo). Este modelo, diferentemente dos anteriores americanos, possuía pistol grip, seu cano era mais pesado, o bipé era mais leve e possuía dust cover na porta de ejeção dos cartuchos. Este modelo foi produzido em vários calibres, dentre eles: .30-06 Springfield (7.62×63mm), 7.65×53mm Belgian Mauser, 7×57mm Mauser, 7.92×57mm Mauser (8mm Mauser), e .303 British (7.7×56mmR). Uma variante chamada de R75A foi fabricada para o exército holandês, este modelo possuia cano destacável para ser substituido rapidamente em combate.

A BAR M1918A2 e suas variantes chegaram a ser fabricadas no moderno 7,62x51mm, mas seu projeto não suportou muito bem o calibre. E foi aposentado de todas as forças armadas que se tem conhecimento. Dando lugar a armamentos mais modernos como o FN Minimi (FN M249), dentre outras metralhadoras de emprego pessoal.

Meu amigo Alexandre Lima e eu estivemos no Museu da FEB aqui em Belo Horizonte – MG, e tivemos o acesso a diversos armamentos da época, pudemos então desmontar e ver toda a forma de funcionamento das armas. Deixo então esta parte para ele, em seu vídeo aqui em baixo, e logo depois um vídeo meu, falando tudo isso que disse neste artigo, mas de uma forma mais sucinta.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Criador do blog Firearms Brasil. Atirador Informal, Técnico em Informática, mineiro e apaixonado pelo mundo das Armas de Fogo.

2 COMENTÁRIOS NO ARTIGO: “BAR M1918 .30-06 SPRINGFIELD

  1. oi, meu nome é Adriano não sou tão apaixonado por armas mais estava pesquisando sobre a BAR M1918 e deparei com seu artigo conheci essa arma através de um jogo de game e por isso da minha pesquisa , sobre a HUOT utilizada na primeira guerra tu teria alguma matéria sobre isso .

    1. Boa noite amigo, muito obrigado pela visita! Ainda não temos o artigo sobre esta arma, mas logo mais publicaremos sobre. Obrigado pela dica, fique de olho aqui e na nossa página do facebook para saber sobre nossas publicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *