AK-47: O nascimento de um ícone

stg 44
STG-44, primeiro armamento a ser considerado, nos dias de hoje, um rifle de assalto, seu calibre é o 7,92x33mm Kurz

Por volta do fim da Segunda Guerra Mundial, era comum soviéticos ficarem cara a cara com as últimas invenções militares dos alemães. O STG-44 (“Sturmgewehr 44” – “Storm Rifle”), foi uma destas invenções. Ele foi considerado o primeiro projeto bem sucedido e produzido em massa de uma arma de sua categoria, hoje chamada de “Rifle de Assalto”. O Rifle de Assalto era mais curto do que os rifles utilizados (como os rifles Mauser Karabiner 93), e possuía calibre similar ao deles. Possuía também, modo de disparo automático, assim como as metralhadoras utilizadas (como uma Browning 1919), por exemplo). Tal poder de fogo permitia que os soldados provessem de fogo de supressão e alto poder de fogo na linha de tiro sem a necessidade de uma grande e pesada metralhadora.

Os engenheiros alemães conseguiram desenvolver para a STG-44 um calibre que, mesmo que menos letal a longas distância, era perfeito para combates a curta distância, permitindo assim maior controle de uma arma deste tipo com modo de disparo automático. o calibre utilizado foi o 7,92×33 Kurz. O STG-44 operava pela reciclagem dos gases provenientes do disparo. Tinha também um carregador curvado que comportava 30 munições. O cilindro de gás ficava alocado em cima de todo o cano da arma , enquanto uma coronha fixa e sólida ajudava a absorver o “coice” dos disparos. Arma podia disparar até 600 vezes por minuto e 425.000 exemplares foram produzidas antes o final da guerra. O STG44 foi um sucesso desde sua inserção pelo Fronte oriental em 1943 e foi estudado mais a fundo pelos aliados, no final da guerra.

Protótipo AK-46
Protótipo AK-46, desenvolvido por Mikhail Kalashnikov. Este é o predecessor do atual AK-47

O então soviético Mikhail Kalashnikov, que entrou para o exército soviético em 1938 e serviu como motorista de tanque, quando foi ferido em combate no ano de 1941 na Batalha de Bryansk. Enquanto estava no hospital, começou a trabalhar no projeto de uma arma que preenchesse todos os requisitos de uma competição entre armas, e comportar o novo calibre 7,62x41mm. Apesar de perder a competição, Kalashnikov foi convocado para desenvolver um rifle de assalto que o Exército Soviético necessitava para comportar o calibre 7,62x39mm. Mesmo com o fim da guerra em 1945, o desenvolvimento da arma de Kalashnikov continuou. O modelo desenvolvido por Kalashnikov (seu protótipo foi chamado de AK-46) foi testado com sucesso em 1946. Um modelo revisado, com uma aparência mais confiável foi criado para testes em 1947. O Exército Vermelho gostou do novo modelo e o aceitou como AK-47 formalmente em 1949.

É fácil mostrar que o AK-47 foi baseado no antigo STG-44, mas tem indiscutíveis particularidades, graças ao estilo de Kalashnikov. A AK-47 tem, de fato, um design simples, limpo mas muito funcional para o campo e batalha, que afinal é para o que foi projetado, uma arma de simples manuseio, mas robusto o suficiente para funcionar em qualquer aspecto climático. Seus primeiros modelos possuíam muita madeira, o que a tornava fácil de ser reconhecida, sua coronha, “pistol grip” e guarda mão eram de madeira maciça, hoje em dia, em modelos mais modernos, de outras marcas que não a Kalashnikov original, estas partes são também feitas em polímero, o que torna uma arma mais leve, e tática, pois possui trilho para que acessórios possam ser acoplados a ela.

Por ser uma arma de tão simples manuseio, manutenção e baixo custo, com raras falhas provenientes da arma em si, é uma arma amplamente usada em guerrilhas e grupos terroristas, pois não se necessita de muito treinamento e nem muito dinheiro para se adquirir, é uma arma que é notadamente muito utilizada por terroristas do oriente médio, guerrilhas africanas e sul-americanas. Este armamento foi amplamente usado pelo exército vietnamita na Guerra do Vietnã, entrando em confronto, e se mostrando superior, ao seu concorrente principal (na época), o fuzil americano M16.

Mikhail Kalashnikov, ao  contrário do que muitos pensam, não lucrou com sua invenção, nem com direitos autorais por suas diversas variações, ou por suas mais de 100.000.000 de vendas ao redor do mundo. Em países comunistas as invenções não são patenteadas, e Kalashnikov foi, até o ano de 1991, um simples empregado da União Soviética. ” Eu inventei uma arma para salvar a ‘terra mãe’, para salvar o Estado do fascismo., minha carreira foi dedicada ao meu país.”

Entretanto, seu país o agraciou com uma medalha de Heroi da Causa Socialista, além de diversos outros prêmios e títulos.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe-o com seus amigos!

Criador do blog Firearms Brasil. Atirador Informal, Técnico em Informática, mineiro e apaixonado pelo mundo das Armas de Fogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *